Notcias

Voltar

Clima prejudica gros de inverno

22/06/2022

Chuva atrasa semeadura e setor teme não recuperar prejuízos causados pela estiagem

Após a estiagem que assolou as lavouras de soja e milho no verão no Rio Grande do Sul, o clima sinaliza preocupações para a safra de inverno. O excesso de chuvas dos últimos meses vem atrapalhando o plantio do trigo e das demais culturas do período, de acordo com a Federação das Cooperativas Agropecuárias do Estado do Rio Grande do Sul (FecoAgro/RS). Para a entidade, o clima traz maior apreensão neste ano porque os produtores apostam nos cultivos de inverno com a perspectiva de compensar parte dos prejuízos acarretados pela seca anterior.

O presidente da FecoAgro/RS, Paulo Pires, observa que em alguns municípios gaúchos choveu mil milímetros nos últimos três meses. "Isso prejudica enormemente os plantios tanto de canola, que praticamente está sendo finalizado, quanto do trigo, que agora se iniciou”, diz. No caso do trigo, a semeadura teve início nas regiões mais quentes do Estado, e a previsão de chuva durante toda esta semana pode dificultar ainda mais os trabalhos no campo, alerta o agricultor.

Neste ano, a Rede Técnica Cooperativa (RTC), que reúne 30 cooperativas associadas à CCGL, projeta um aumento de 16% na área cultivada com trigo no Estado em relação à safra 2021. Além da necessidade de recuperar renda, outro estímulo para essa expansão vem das boas cotações do cereal no mercado internacional, em alta desde o ano passado. Segundo Pires, os produtores estão ampliando a lavoura mesmo com a elevação de 51% dos custos de produção ante o ano passado. A expectativa do setor, afirma Pires, está focada no anúncio do Plano Safra 2022/2023. "Estamos na metade de junho e (ainda) não temos um Plano Safra andando nos bancos para os produtores", destaca.

Com informações: correiodopovo.com.br

Assistncia