Notícias

Voltar

Ucrânia pede aos EUA mais armas e novas sanções contra a Rússia

23/04/2022

O primeiro-ministro da Ucrânia, Denys Shmygal, reuniu-se nesta sexta-feira em Washington com o secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, a quem pediu mais ajuda em armamento dos Estados Unidos e mais sanções contra a Rússia, por considerá-las o instrumento que "mais influencia o agressor".

Shmygal se expressou assim no início de sua reunião com Blinken, em um dia em que também se encontrou com outros membros do governo presidido por Joe Biden para solicitar ajuda para seu país em diferentes áreas. O primeiro-ministro ucraniano disse que seu país precisa "seriamente" de quatro coisas: armas, sanções contra a Rússia, ajuda financeira e perspectivas de pertencer à Europa.

Em relação às armas, pediu mais ajuda dos Estados Unidos um dia depois que Biden anunciou mais 800 milhões de dólares em assistência militar ao país. Além disso, insistiu na necessidade de persistir com as sanções, pedindo mais financiamento para atender às necessidades humanitárias e sociais e ajudar a estabilidade macroeconômica da Ucrânia.

Shmygal também reiterou diante de Blinken o desejo de "fazer parte da família europeia", como querem, segundo assegurou, "96% dos ucranianos", que estão empenhados em "fazer parte do mundo civilizado e não de uma União Soviética ou um império russo”.

Blinken, por sua vez, prometeu que os Estados Unidos continuarão a apoiar a Ucrânia e a fornecer "a assistência que necessitar, militar, econômica e humanitária". "Continuamos, em coordenação com nossos parceiros e aliados, exercendo uma pressão significativa sobre a Rússia para encerrar sua agressão", destacou o secretário de Estado dos EUA.

Antes de sua reunião com Blinken, Denys Shmygal teve outros encontros com membros do governo dos EUA, como o secretário de Transportes, Pete Buttigieg, e a administradora da Agência dos EUA para o Desenvolvimento Internacional (USAID, na sigla em inglês), Samantha Power, para pedir apoio para a reconstrução da Ucrânia.

Nesta semana, o primeiro-ministro ucraniano também já havia se encontrado com Biden e participado de uma reunião sobre a situação financeira da Ucrânia com a diretora-gerente do FMI (Fundo Monetário Internacional), Kristalina Georgieva, e o presidente do Banco Mundial, David Malpass.

Com informações: correiodopovo.com.br

Assistência

Gostaria de receber mais informações do nosso portal por e-mail?

Panorama