Notícias

Voltar

Entenda quais são as etapas da Covid-19 e como ela age no corpo

01/06/2020

Pessoas infectadas pelo novo coronavírus podem ter experiências muito diferentes umas das outras. Enquanto algumas apresentam sintomas de resfriado e se recuperam sozinhas, outras evoluem para quadros graves, que podem chegar até a morte. A infectologista Sylvia Lemos, (da Sociedade Brasileira de Infectologia), explica que, de modo geral, são três etapas da Covid-19 no organismo.

Estágio 1

No estágio 1, considerado leve, é quando ocorre a infecção inicial. O vírus entra no organismo pela boca ou pelo nariz. A partir daí, ele pode percorrer o caminho até o pulmão, o que é mais comum, ou até o estômago, caso o paciente tenha reflexo de deglutição. Por isso, os primeiros sintomas da doença costumam ser tosse ou diarreia

A infectologista explica que, nesse primeiro momento, o corpo lança uma defesa imunológica padrão, que consiste na liberação da proteína chamada interferon. Ela atua na capacidade do vírus de se replicar e recrutam outras células imunológicas para atacá-lo. A maioria das pessoas consegue eliminar o novo coronavírus ainda nesse estágio.

Estágio 2

No estágio 2, considerado moderado, é quando há o envolvimento pulmonar. Após a defesa imunológica inicial, o corpo lança uma segunda onda de ataque do sistema imunológico, chamada resposta imune adaptativa. Esse processo consiste na liberação de anticorpos específicos

Em alguns pacientes, no entanto, o vírus se replica e se espalha antes que o sistema imunológico o controle. Isso pode acontecer quando o paciente é exposto a uma grande carga viral ou tem o sistema imunológico debilitado, segundo a médica

O primeiro órgão a ser atacado pelo vírus é o pulmão, causando uma inflamação localizada no órgão. Com isso, o paciente desenvolve pneumonia viral, com tosse, febre e possível falta de oxigênio no corpo, além de falta de ar e sensação de profundo cansaço, conforme explica a infectologista.

Estágio 3

O estágio 3, considerado grave, é quando há hiperinflamação sistêmica. Uma vez que o sistema imunológico não consegue eliminar o vírus, ele pode surtar e começar a reagir exageradamente, produzindo mais e mais proteínas inflamatórias, chamadas citocinas, causando, assim uma inflamação generalizada

A médica explica que o processo pode resultar em choque, falência respiratória e colapso cardiorrespiratório, o que pode ser fatal. Apenas de 5% a 10% dos pacientes evoluem para este estágio.

Como prevenir o contágio do novo coronavírus

De acordo com recomendações do Ministério da Saúde, há pelo menos cinco medidas que ajudam na prevenção do contágio do novo coronavírus:

• lavar as mãos com água e sabão ou então usar álcool gel.

• cobrir o nariz e a boca ao espirrar ou tossir.

• evitar aglomerações se estiver doente.

• manter os ambientes bem ventilados.

• não compartilhar objetos pessoais

 

Com informações: correiodopovo.com.br

Assistência

Gostaria de receber mais informações do nosso portal por e-mail?

Panorama