Notícias

Voltar

UCS anuncia obras e inovações no modelo de ensino

23/11/2017

No ano do cinquentenário, a Universidade de Caxias do Sul (UCS) olha para o futuro e anuncia uma série de obras e ações que vão impactar entre os alunos da instituição e na comunidade. É o maior pacote de investimentos estruturais e acadêmicos em anos. Evaldo Kuiava, reitor da instituição comunitária, detalhou na quarta-feira ao Pioneiro os projetos do Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) da organização, aprovado para os próximos cinco anos.

— Eu acredito que nós cumprimos a nossa missão institucional ao longo desses anos. Agora, estamos repensando nosso papel e agregando mais objetivos, dentro daquilo que vemos no contexto atual — destaca Kuiava.

Entre o que deve mudar na UCS nos próximos anos, está a construção de um laboratório para análise de compatibilidade para doação de órgãos, serviço hoje só realizado em Porto Alegre; uma escola para formação de líderes; e a ampliação de espaços para a inovação e o empreendedorismo.

A partir do próximo semestre, o novo Projeto Pedagógico Institucional (PPI) promove alterações no modelo educacional, com a implantação das chamadas metodologias ativas. Ao todo, mais de 20 mudanças devem ocorrer na instituição até 2022, boa parte já no ano que vem. A seguir, o Pioneiro detalha o que vem por aí na única universidade de Caxias do Sul.

HOSPITAL VETERINÁRIO
A grande obra da UCS para 2018 é o Hospital Veterinário, já em construção. De acordo com o reitor, será a maior estrutura do país no setor. A estrutura funcionará no Bloco 46, integrado ao zoológico e à Clínica Veterinária, já existente.

— Os estudantes vão poder ter a experiência da clínica para pequenos animais, a estrutura para grandes animais, vão poder ligar com animais silvestres no zoológico e a questão da piscicultura nos lagos. Que instituição tem isso?

Prazo: metade de 2018, com atendimento à comunidade.

CENTRO CLÍNICO
O complexo vai integrar o Ambulatório Central, a Clínica de Fisioterapia e o Instituto de Medicina do Esporte. A principal novidade é que o ambulatório deixará de atender pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O número de consultas, porém, não vai diminuir, segundo o reitor. Ele explica que o local fica vazio após o horário comercial e a estrutura poderá ser utilizado como consultório por médicos recém formados e professores da área.

— Das 17h30min às 22h30min, por exemplo, ou quando o espaço fica ocioso, eles poderão usar o espaço já para exercer a profissão. Com a vantagem que tem toda a estrutura e pode ser associado à pesquisa, mantendo um vínculo com a instituição — diz.

Outro objetivo é reverter as perdas causadas pelo atendimento pelo SUS, já que os repasses governamentais seriam insuficientes.

— Não é justo tirar dinheiro da graduação para pagar a saúde pública — defende.

Os profissionais poderão atender de forma particular ou por convênio.

Prazo: março de 2018.

HOSPITAL GERAL
Um prédio vazio ao lado do Hospital Geral, às margens da BR-116, deve ser utilizado como centro de testes de compatibilidade para transplantes de órgãos. A estrutura, chamada pelo reitor de "esqueleto", por conter somente a estrutura interna, seria o único local do Estado fora de Porto Alegre que realizaria os procedimentos.

— Só há duas clínicas que fazem isso no Estado. É um absurdo o órgão ter que sair daqui, ir para a Capital, e voltar para ser doado — defende.

Para a construção, a UCS espera a aprovação de emendas parlamentares para o custeio. É esperada a chegada de cerca de R$ 1 milhão para o projeto.

Prazo: aguarda verbas, mas pode começar em 2018.

COMPLEXO DE PRODUÇÃO DE FÁRMACOS
Em frente ao Hospital Geral, no terreno ocupado pelo CTG Rincão da Lealdade o plano é a criação de um complexo para a pesquisa e elaboração de medicamentos. Conforme Kuiava, o Estado, detentor do espaço, já demonstrou interesse no projeto. A universidade deve conversar com representantes do setor farmacêutico para verificar a viabilidade do empreendimento.

— Temos aqui pesquisadores que são referência. Há um professor na área médica, da coluna vertebral, que é referência em todo o mundo. É esse capital humano que nos permite essas possibilidades — defende. 

Prazo: depende de parcerias e disponibilização da área.

CLÍNICA ODONTOLÓGICA
Localizada no Bloco S, a Clínica Odontológica da UCS foi inaugurada na última semana e começará a atender o público em março do ano que vem. Já em fevereiro, será inaugurado o bloco cirúrgico, para procedimentos mais complexos. Em agosto, está previsto o início do serviço de tomografia computadorizada para diagnósticos de orientação de tratamentos complexos, único no Estado, segundo o reitor. Inicialmente, o atendimento à comunidade deve ser realizado por alunos, de forma gratuita. Futuramente, não são descartados atendimentos pelo SUS.

Prazo: 2018 com ampliação em 2019.

TECNOUCS
A ideia é expandir o Parque de Ciência, Tecnologia e Inovação da UC para que possa abrigar mais empresas e atrair empreendimentos interessados em se instalar nas áreas próximas à Incubadora Tecnológica. Uma parceria deve possibilitar a implantação de um condomínio industrial sustentável na Rua Travessão Solferino.

Prazo: em negociação.

NOVO TECNOUCS
Todo o térreo do prédio que abriga o Restaurante Universitário (RU), onde hoje é o programa de empreendedorismo StartUCS, deve ser integrado ao complexo TecnoUCS. Conforme o reitor Evaldo Kuiava, o local deve se tornar um amplo espaço de coworking (trabalho em equipe), focado nos estudantes, empresas e investidores. Não está definido se haverá mudanças no restaurante, mas uma cafeteria deve ser integrada ao complexo.

— Queremos formar os alunos dentro de um contexto de criatividade e inovação. Esse vai ser um espaço de criação — informa Kuiava.

Prazo: março de 2018.

CONCHA ACÚSTICA
Já está pronto um projeto de uma concha acústica em frente ao prédio do RU. Hoje, a área já recebe concertos da Orquestra Sinfônica da UCS abertos à comunidade, em estruturas temporárias. O empreendimento deve ser um espaço para concertos permanentes da orquestra, atividades do curso de música e também servirá para receber artistas nacionais e internacionais, segundo Kuiava. Fazem parte do projeto a revitalização o lago próximo ao prédio, cujo chafariz terá luzes e se moverá conforme a música. A universidade trabalha na captação de recursos para o projeto.

  
Prazo: início das obras durante 2018.

ADUCS
Com as mudanças no prédio do RU, a Associação dos Docentes da UCS mudará para a parte inferior do centro de convivência. De acordo com o reitor, os professores terão um espaço de 220 metros quadrados com espaços de lazer, descanso e higiene, com capacidade para receber docentes visitantes. A sala atual da ADUCS é de 50 metros quadrados.

Prazo: fevereiro de 2018

PRAÇA DOS FUNDADORES
Como marco comemorativo dos 50 anos da UCS, está sendo construída a Praça dos Fundadores, com os bustos de Dom Benedito Zorzi, Prefeito Hermes João Webber e Dr. Virvi Ramos.

Prazo: 15 de dezembro de 2017

ESCOLA DE LÍDERES
Perto da nova Praça dos Fundadores, a UCS vai inaugurar uma escola de formação de lideranças. O reitor da UCS explica que, a partir de 2018, o local deve atender alunos do Ensino Médio, inicialmente, no turno contrário à escola, buscando desenvolver a capacidade de gestão dos jovens.

— Queremos que seja um processo vivencial. Ser líder não se aprende por conteúdo, mas passa por um processo que inclui as competências emocionais e formação de caráter.

Kuiava diz que o aprendizado será focado em capacitação pessoal, possibilitando que os alunos tenham as ferramentas necessárias para se tornarem líderes nas organizações, na comunidade, e inclusive na política. A universidade buscou assessoria externa para desenvolver o projeto, mas não detalhou o nome dos envolvidos.

Prazo: março de  de 2018. As matrículas iniciam após a inauguração.

REVITALIZAÇÃO DO LAGO
O lago próximo ao Zoológico da UCS, que rompeu durante reformas no ano passado, está entre as áreas que serão revitalizadas. Já em obras, o local deve permanecer um espaço de convivência integrado à Vila Poliesportiva.

Prazo: março de  de 2018.

VILA POLIESPORTIVA
A ideia é transformar o local em um complexo com capacidade para receber competições esportivas. Entre os planos, está a implantação de uma pista de corrida emborrachada, dentro das normas internacionais, novo gramado para o campo de futebol e uma arquibancada ecológica para duas mil pessoas. O investimento necessário é alto — R$ 50 milhões, segundo o reitor. Portanto, a universidade busca patrocínio para efetuar as obras.

Prazo: depende de parcerias.

REVITALIZAÇÃO DO BLOCO I
O Bloco I, hoje composto por laboratórios de informática, será reformulado como um espaço de convivência e troca de experiências para professores. Segundo Kuiava, a intenção é que os docentes possam interagir para desenvolver aulas originais e criativas. O espaço também poderá ser usado por estudantes e será centro do Polo de Educação a Distância. Os laboratórios de informática, conforme o reitor, serão substituídos por computadores portáteis.

— Vamos trabalhar com outra lógica. O mais importante não é o computador, mas o software e aplicativos. Vamos dar espaços para que as pessoas possam estudar e interagir, como hoje já acontece no Centro de Convivência, por exemplo.

Prazo: março de 2018.

UCS INTERNACIONAL
A partir de março, o Bloco L passará a concentrar as atividades de internacionalização da universidade. Além dos cursos de línguas estrangeiras, estarão ali uma área de intérpretes, escritórios de instituições conveniadas do exterior e a assessoria de relações internacionais. A partir de janeiro, a UCS também passa a oferecer os Summer Courses, cursos de três semanas em diversas áreas destinados a estudantes estrangeiros.

Prazo: março de 2018.

BIBLIOTECA
Durante 2018, o acervo de obras raras da Biblioteca Central vai ser disponibilizado à comunidade de forma digitalizada. As obras de domínio público passarão pelo mesmo processo, gradualmente.

Prazo: 2018.

UCSTV
No final do ano, a emissora deixará de ter sinal em TV aberta, devido ao custo para digitalização do sinal. Contudo, a UCSTV exibirá programas pela internet, no projeto UCS Play, ainda não detalhado. A estrutura do canal deve continuar atendendo os alunos, conforme o reitor.

Prazo: 2018.

CERCAMENTO DO CAMPUS
Proposta polêmica já discutida anteriormente, segue nos planos da instituição. De acordo com o reitor, o controle do acesso à instituição se daria para proteger o patrimônio da universidade.

— A universidade é comunitária, não vamos proibir o acesso de ninguém. Mas da forma como está hoje, temos um custo muito grande, acontecem assaltos. Por mês, pagamos R$ 35 mil para a Codeca recolher o lixo — relata, citando o exemplo de parques e pontos turísticos que já tem controle de acesso.

A ideia permitir a entrada ao campus mediante identificação de visitantes, como ocorre em outras universidades. No entanto, como a UCS fica entre vias públicas, são necessárias mudanças no Plano Diretor e melhorias no acesso à BR-116, por exemplo, para que seja efetivado.

NOVO MODELO PEDAGÓGICO
Já divulgado anteriormente, o novo modelo pedagógico da UCS entra em vigor a partir do próximo semestre. Oito professores passaram por um processo de capacitação junto a instituição finlandesa a Turku University of Applied Sciences (TUAS), num processo que durou dois anos. Profissionais da universidade vieram até a UCS para prestar a assessoria.

Na última semana, mais 200 professores foram capacitados para o próximo ano. Todos os cerca de mil docentes da instituição devem ser preparados para atuar de acordo com a metodologia ativa, que busca dar autonomia ao aluno e prepará-lo para todas as situações da vida. Kuiava reconhece que a realidade social da Finlândia é diferente da brasileira, mas crê que as reformas têm de iniciar em algum lugar.

— Nossos alunos são trabalhadores, mas temos espaços para melhorar o ensino. Eu não acredito na pedagogia do coitadismo. Temos situações por aí em que as pessoas adquirem um diploma de forma muito fácil. Queremos que os nossos diplomados tenham sucesso e sejam profissionais de excelente qualidade.

VERBAS
O reitor não detalha os recursos necessários para cada empreendimento, mas assegura que a instituição está em boas condições financeiras. Segundo ele, nos últimos quatro anos a universidade acumula saldo positivo de quase R$ 20 milhões nas contas. O grande problema seria o setor da saúde. O Hospital Geral deve fechar 2017 com déficit de R$ de R$ 6 milhões. Em 2018, a UCS projeta o investimento de R$ 16 milhões em melhorias.

Hoje, a instituição conta com cerca de 23,5 mil alunos na graduação e um total de 38 mil considerando a pós-graduação, a extensão e o Cetec.

Com informações de pioneiro.com.br 

Internet

Gostaria de receber mais informações do nosso portal por e-mail?

Assistência